quinta-feira, 10 de dezembro de 2009

BREVEMENTE NOS CINEMAS



Olá a todos,

Chegam-nos vários e-mails a questionar quando e onde será exibido o "Pare, Escute, Olhe".
Queremos partilhar que neste momento estamos a preparar o filme para a estreia cinematográfica, no final de Janeiro de 2010. Posteriormente, faremos apresentações descentralizadas em todo o país.

Em Abril, seguir-se-á o lançamento em DVD.

Até breve numa sala de cinema perto de si!

sábado, 5 de dezembro de 2009

FRANKIE CHAVEZ, UM DOS AUTORES DA BANDA SONORA ORIGINAL DO DOCUMENTÁRIO - BLUES CAFÉ | 11 DEZ


Frankie Chavez foi um dos nomes do Super Bock em Stock a registrar. Com as suas guitarras conjugou diferentes tipos de sonoridades, incluíndo a técnica de Slide
Guitar.

Embora difícil encontrar um termo para a definição da sua música, o resultado é um Blues/Folk com ambientes por vezes limpos e outros mais crus e psicadélicos.

As suas sonoridades, conjuntamente com Manuel Faria e Francisco Faria, dão alma ao nosso documentário.

Para quem quiser passar um belo momento e ver de perto um grande músico, Frankie vai estar na próxima sexta-feira, 11 de Dezembro, no Blues Café, em Lisboa.

A não perder!

Mais sobre Frankie Chavez - VER AQUI

terça-feira, 24 de novembro de 2009

JORGE PELICANO NO PESSOAL E TRANSMISSÍVEL DA TSF


Para quem não ouviu, partilhamos convosco o programa Pessoal e Transmissível da TSF onde estivemos presentes. À conversa com Carlos Vaz Marques, vários assuntos vieram à antena: "Ainda há pastores?", o pastor Hermínio, o documentário em Portugal, "Pare, Escute, Olhe", a abordagem interventiva, o documentário militante, a sétima arte.
Palavras sobre documentário e cinema para se voltarem a ouvir!
PARA OUVIR CLIQUE AQUI

segunda-feira, 16 de novembro de 2009

“OBRIGADO POR TUDO O QUE FIZERAM POR NÓS”

Os ponteiros do relógio aproximavam-se das duas da tarde. Na Ribeirinha, aldeia central do documentário, as pessoas concentravam-se à porta do café Lucky Luke. O dia era especial, pela primeira vez iam ver o filme em que são protagonistas.
Autocarros, contratados pela Câmara de Mirandela, percorreram várias aldeias a apanhar todos aqueles que não têm mais nenhuma forma para se deslocar. Para facilitar o processo, Acácio Amaral, pegou na sua velha barca, que há muito não pousava nas águas do rio Tua, passou, dois a dois, alguns habitantes da aldeia de Barcel, localizada ao lado da Ribeirinha - a falta de uma ponte entre as aldeias faz com que para se deslocarem por estrada tenham de fazer 14 km.
Abílio, ex-ferroviário personagem central do documentário, esteve atento a todas as movimentações. Um contratempo na sua saúde impediu-o de rumar a Mirandela, ao contrário de grande parte dos habitantes.
No Centro Cultural de Mirandela, os 480 lugares não chegaram para acolher todos os interessados, muitos foram os que optaram ficar de pé para ver "Pare, Escute, Olhe". As luzes apagaram-se, do escuro da sala surgiram muitas reacções: riso, silêncio, revolta, um turbilhão de emoções.
No final da sessão, ainda a quente, as reacções custavam a sair: “Estou muito emocionado”; “Nunca imaginei que a nossa terra fosse tão bonita”; “Fiquei feliz por ver muitas pessoas a favor do comboio e contra a barragem”.
O xi coração de Jorge Laiginhas (escritor transmontano), as palavras sábias de Pedro Fernandes (jovem agricultor), o calor humano dos amigos, da família, de todos os que nos acompanharam nesta caminhada, são momentos que vão ficar para sempre na nossa memória, assim como, todas as pessoas que cgegavam ao pé de nós e diziam: “Obrigado por tudo o que fizeram por nós”. É indescritível e difícil de transmitir tudo o que sentimos naquele momento, mas fica a certeza de que valeu a pena os dois anos e meio de trabalho e dedicação. Um agradecimento especial à Câmara de Mirandela, ao Pedro, à Graça e António pelo apoio.

Depois da azáfama da apresentação, no Domingo, passámos o dia na Ribeirinha. Organizámos uma sessão no Lucky Luke para os que não puderam estar presentes em Mirandela, inclusive o Ti Abílio. Resumindo: um momento delicioso a juntar a muitos outros.
Como não podia deixar de ser, a conversa terminou à mesa ao sabor de umas belas alheiras, queijos e enchidos. Regressámos, também como é habitual, com a mala do carro a abarrotar de batatas, cebolas, legumes, alheiras, mimos que há muito nos habituaram. Em Trás-os-Montes sentimo-nos em casa.
OBRIGADO POR TUDO O QUE FIZERAM POR NÓS
Jorge Pelicano e Rosa Silva







quarta-feira, 11 de novembro de 2009

APRESENTAÇÃO AOS PROTAGONISTAS MIRANDELA | 14 NOV 17H e 21H30 | CENTRO CULTURAL DE MIRANDELA

PARE, ESCUTE, OLHE vai ser apresentado aos protagonistas que, pela primeira vez, vão ver as suas estórias reflectidas numa tela.

Fernanda vive numa estação abandonada.
Berta, utilizadora frequente do comboio, necessita do transporte para ir ao médico ou simplesmente comprar um litro de leite.
Pedro Couteiro, activista, um acérrimo defensor dos rios.
Jorge Laiginhas, escritor transmontano, conduz-nos às entranhas e beleza do vale.
Abílio Ovilheiro, ex-ferroviário, vive numa estação activa, autêntico sabedor de notícias da região.

Todos eles, políticos, pessoas que vêm de aldeias da parte activa e desactivada da Linha do Tua, vão assistir à sessão das 17H. Depois da apresentação segue-se um debate com o realizador e um jantar com todos os intervenientes.

Estamos na expectativa!







terça-feira, 3 de novembro de 2009

PARE, ESCUTE, OLHE NO FESTIVAL MOSTRA'LÍNGUA, EM COIMBRA



PARE, ESCUTE, OLHE vai estar presente na 3ª Mostra Internacional de Cinema Internacional em Língua Portuguesa, que decorre em Coimbra, nos dias 6, 7 e 8 de Novembro.
O nosso documentário vai ser exibido no Sábado, 7 de Novembro, às 18H, no Teatro da Cerca de São Bernardo.

Mais informações: www.mostralingua.org

segunda-feira, 26 de outubro de 2009

ENTREGA PRÉMIOS CINE ECO - MOMENTOS




PARE, ESCUTE, OLHE RECEBE SEIS PRÉMIOS NUM DIA





As exibições de “Pare, Escute, Olhe” no Doc Lisboa e no Cine Eco, em Seia, correram muito bem. Sentimos a vibração e o carinho do público, mas nem sequer imaginávamos o fim-de-semana de emoções.
Na apresentação em Seia, vários amigos estiveram presentes para nos dar apoio, inclusive, Hermínio Carvalhinho, pastor da Serra da Estrela e protagonista de “Ainda há pastores?” – um grande amigo que fez questão de partilhar este momento connosco.
Mas foi no Sábado, 24 de Outubro, o derradeiro dia. Ao desfrutar das belas paisagens da Serra, recebemos um telefonema do Cine Eco anunciando que tínhamos vencido em três categorias: Prémio Internacional, Prémio Lusofonia e Prémio Juventude. Ficámos sem palavras, fomos assolados por um sentimento indescritível. Foram dois anos e meio de dedicação, empenho, imbuídos por um espírito de missão em prol do Vale de Tua que, afinal, também conquistou outras pessoas. Esse sim, o factor que nos enche mais de alegria.
Pouco tempo depois, recebíamos um telefonema da organização do Doc Lisboa afirmando que era mesmo importante estar presente na conferência Palmarés, marcada para as 18h15.
Olhámos para o relógio, fizemos contas ao tempo, passadas 2h20 estávamos na Culturgest, em Lisboa. O Jorge nem teve tempo de aquecer o lugar. Fomos contemplados com três prémios: Melhor Documentário Nacional, Melhor Montagem e Prémio Escolas. Se antes tínhamos ficado sem palavras, agora estávamos anestesiados com tanta emoção.
Umas palavras aos jornalistas, tivemos que regressar a Seia para a cerimónia de entrega de prémios, marcada para as 22h.
Vivemos uma noite intensa, única, gostaríamos de destacar dois momentos que vão permanecer na memória: as palavras de Laura Soveral a apelar para que os responsáveis parem, olhem e escutem a realidade do Tua. O outro momento foi proporcionado por Lauro António, salientado o olhar e sensibilidade do Jorge para a realidade, apontando-o como um dos grandes documentaristas da actualidade.
Apesar de toda a alegria e reconhecimento do nosso trabalho, foram os transmontanos e o Vale do Tua os grandes vitoriosos da noite.

Bem-haja a todos!

domingo, 25 de outubro de 2009

PARE, ESCUTE, OLHE TRIUNFA NO DOC LISBOA


Olá a todos,

O nosso documentário "Pare, Escute, Olhe" conquistou três prémios no Doc Lisboa. Venceu a Competição Portuguesa, sendo a melhor longa-metragem da competição nacional, Prémio para melhor montagem e o Prémio Escolas atribuído por um júri jovem.

Foi um fim-de-semana de grandes emoções!

Amanhã colocamos as fotos e descrevemos todas as emoções.

Bem-haja a todos!

sábado, 24 de outubro de 2009

PARE, ESCUTE, OLHE VENCEU OS TRÊS PRINCIPAIS PRÉMIOS NO CINE ECO, EM SEIA

Olá a todos,

O nosso documentário “Pare, Escute, Olhe”, venceu o Prémio Internacional, Prémio Lusofonia e Prémio da Juventude, do Festival Cine Eco, em Seia.

A cerimónia oficial de entrega de prémios decorre logo, às 21h30, no Cine-Teatro da Casa Municipal da Cultura de Seia, seguido do concerto com Janita Salomé.

O retrato de Trás-os-Montes, uma região esquecida, a defesa de um património único e da centenária Linha do Tua, que fazem parte da identidade transmontana, fez com que o júri do Cine Eco, em Seia, deliberasse por unanimidade, salientando "a consciencialização social e política, a questão da macrocefalia e pela magnificência do nível técnico".

Estamos muito felizes, pois foi neste festival que o "Ainda há pastores?", iniciou o seu caminho.

Obrigado a todos,
Jorge Pelicano e Rosa Teixeira da Silva

quarta-feira, 21 de outubro de 2009

22 OUT 22h: "PARE, ESCUTE, OLHE" no CINE ECO 2009


É um festival especial. Foi no CINE ECO que "Ainda há pastores?", primeiro documentário, ganhou projecção. O regresso é uma satisfação e um belo recordar. Hermínio Carvalhinho, pastor também estará presente para assistir a "Pare, Escute, Olhe". A construção da barragem de Foz Tua e a consequente submersão de um património ferroviário - a linha do Tua - mais a destruição de um vale único - o vale do Tua - encaixam como uma luva neste festival de ambiental. Bom visionamento.

SITE OFICIAL DO FESTIVAL

terça-feira, 20 de outubro de 2009

"PARE, ESCUTE, OLHE" ENCHEU GRANDE AUDITÓRIO DA CULTURGEST






Apesar do horário e de ser uma Segunda-feira, o Grande Auditório da Culturgest esteve quase repleto, aproximadamente 600 pessoas assistiram à segunda apresentação do documentário "Pare, Escute, Olhe".
As emoções estiveram ao rubro, o público retribuiu com uma forte ovação.
Seguiu-se uma conversa com o realizador durande duas horas. Foram muitos os que ficaram para o ouvir e deixar um abraço no final.
Obrigada a todos, à família, aos amigos, à equipa técnica, aos políticos presentes, aos entusiastas dos comboios.

segunda-feira, 19 de outubro de 2009

PARE, ESCUTE, OLHE VIU O ESCURO DA SALA



Os bilhetes esgotaram logo pela manhã. Mesmo assim, perto das 23H, hora marcada para a estreia, algumas pessoas não arredavam pé da bilheteira.
Rodeados de amigos, colegas de profissão e outras pessoas, partilhámos o trabalho que fizémos ao longo de dois anos e meio pela primeira vez.
Ver aquelas imagens, pessoas, paisagens e estórias projectadas na tela, misturadas por banda sonora original, foi uma sensação única, de dever cumprido. Estamos muito felizes com este filme.
No final do filme, a emoção falava por si. Pare, Escute, Olhe é definitivamente um documentário de causas. Não vamos adiantar mais nada.
Hoje, às 18h30, é a sessão oficial no Doc Lisboa, na Culturgest.
Bem haja a todos!

quarta-feira, 14 de outubro de 2009

ESTREIA NACIONAL NO DOC LISBOA


18 OUT - 23H CINEMA LONDRES
19 OUT - 18H30 CULTURGEST

CINE ECO (SEIA)
22 OUT - 22H

segunda-feira, 12 de outubro de 2009

NOVO FILME, NOVA AVENTURA

Realizar, partilhar. São estas palavras que marcam o início desta nova caminhada na blogosfera. Três anos depois de "Ainda há pastores?", chega o meu novo filme - "Pare, Escute, Olhe", um retrato do despovoamento de Trás-os-Montes, através da linha ferroviária do Tua, actualmente ameaçada...de morte pela construção da barragem de Foz Tua, promovida pelo governo. Não vou adiantar mais. Em nome de toda a equipa de produção que trabalhou e lutou para chegar a este momento, prefiro dar as boas vindas a todos os que irão partilhar connosco esta nova aventura que pretende chegar à última estação, o mais atrasada possível.
Um grande bem-haja a todos.
Jorge Pelicano (realizador)