terça-feira, 13 de abril de 2010

'Pare, Escute, Olhe' e ajude a salvar o comboio do Tua por Eurico de Barros in DN



Opinião Eurico de Barros *****

António Mexia, presidente da EDP, aparece a certa altura ao lado de José Sócrates em Pare, Escute, Olhe, de Jorge Pelicano, a estranhar que no Vale do Tua, onde o Governo se prepara para construir uma barragem, esteja "tudo despovoado". Se António Mexia conseguisse libertar-se das suas importantes e muito bem remuneradas funções e tirasse meia hora para ver este documentário, descobriria o porquê desse despovoamento - tem tudo a ver com a irresponsabilidade, a indiferença, a incompetência e o desconhecimento que políticos e decisores têm do "país profundo". O autor de Ainda Há Pastores? assina, com Pare, Escute, Olhe (o título, além de remeter aos clássicos sinais das passagens de caminho de ferro, é uma sugestão ao espectador e também aos que mandam nisto), um verdadeiro documentário de serviço nacional, sobre a morte anunciada da Linha do Tua, que deverá ficar submersa por uma barragem. Como diz alguém a certa altura, o desaparecimento do comboio e o estrangulamento do rio significam o fim "de uma identidade" local que ajuda a fazer a identidade nacional maior, de um património único, insubstituível. E a barragem em muito pouco vai beneficiar quer a população, envelhecida, desiludida e passiva, para quem a "sua" automotora é muito mais necessária e útil, quer o desenvolvimento local .

Cheio de cinema, humor, melancolia, emoção, ritmo, música (composta à medida das imagens), indignação legítima, informação útil, rádios locais com discos pedidos que unem quem ficou na terra aos que trabalham no estrangeiro e gente pitoresca e genuína que se manifesta sem papas na língua ("A barragem, que atirem com ela ao rio, que se f...", diz um velhote a certa altura), Pare, Escute, Olhe é um filme político mas apartidário, de intervenção mas não propagandístico, cuja causa é o bem maior de todos nós. Senhor Mexia, tire lá meia hora e vá vê-lo.

3 comentários:

  1. parabéns! brilhante trabalho. conteúdo fantástico.

    Divulguem por favor no Facebook...redes sociais estão a fazer milagres para petições...

    ResponderEliminar
  2. Em Portugal ainda ha uns poucos que sabem que o rei vai nu. De todas a viagens que faco em Portugal me intersso sempre muito pelo interior do Pais e este documentario vem a ilustrar uma verdade muito triste e seria que a alguns nao interessa disvendar. Continue com o seu bom trabalho.....

    ResponderEliminar
  3. Muitos parabéns pelo documentário!!!
    Estudo em Vila Real e fazia parte dos meus sonhos de estudante fazer a viagem pela linha que tanto falavam... No meio dos livros não "arranjei" tempo para o fazer... E agora querem inundar parte da nossa identidade...
    já assinei a petição.

    Cumprimentos,
    Joana

    ResponderEliminar