domingo, 16 de maio de 2010

PEO FOI EXIBIDO NUMA ESTAÇÃO...LINDO!




O Cais da Estação ferroviária de Tormes-Arêgos, um local emblemático celebrizado por Eça de Queirós na sua obra “As Cidades e as Serras”, foi o local escolhido para debater o tema Património do Douro e os Caminhos-de-ferro, uma iniciativa organizada pelo Centro Social de Santa Cruz do Douro.
O documentário “Pare, Escute, Olhe” abriu os trabalhos e lançou o debate, conjuntamente com o livro “Pare, Escute, Olhe”, escrito por Jorge Laiginhas com fotografias de Leonel de Castro; o Movimento Cívico pela Linha do Tua, representado pelo Daniel Conde; Rocha Monteiro da Comissão de Revitalização do Douro.
Na plateia estavam ex-ferroviários, políticos, agentes económicos e população local, todos preocupados em debater o tema e preocupados com o futuro de Baião, para que não aconteça o mesmo do que se está a passar no Tua.
Artur Borges, presidente do Centro Social de Santa Cruz do Douro, mentor deste encontro e um homem preocupado com os factores sociais deixou o alerta “é necessário pensar nas pessoas e nas suas necessidades”.



Terminados os trabalhos, fomos presenteados com um jantar surpreendente na Casa do Lavrador – um espaço típico, onde se preservam as memórias e tradições de outros tempos. À luz das candeias, saboreamos pratos confeccionados numas grandes panelas colocadas na lareira.
É uma experiência incrível para todas as idades. (É necessária marcação prévia através 254885143 ou geral@casadolavrador.org)
Um agradecimento especial ao Centro Social de Santa Cruz do Douro, a Artur Borges e à Salomé Paredes.

Sem comentários:

Enviar um comentário