sexta-feira, 26 de novembro de 2010

PARE, ESCUTE, OLHE VENCE NA CATEGORIA DE MELHOR DOCUMENTÁRIO NO XVII CAMINHOS DO CINEMA PORTUGUÊS




O documentário Pare, Escute, Olhe foi galardoado com o prémio Melhor Documentário, no XVII Caminhos do Cinema Português.

O júri oficial constituído por Anna Da Palma, Teresa Nicolau, José Sacramento, Alexandre Ramires e Paulo Granja, distinguiram a obra pela temática, estética, mas sobretudo pelo alerta e denúncia do que se está a passar em Trás-os-Montes, uma terra parece não ver cumprida os efeitos da “Res Publica”.

Cumpriu o documentário a sua missão de defesa pelo património do Vale do Tua? Ainda não, pois vivemos numa sociedade adormecida e pouco interventiva. Contudo, se não o fizéssemos, se não existissem pessoas a defender esta causa, as recompensas ainda seriam menores para aquelas pessoas, a realidade a esta altura já seria diferente. Por outro lado, é fundamental que fique registado quem são os verdadeiros responsáveis por aquilo que está a acontecer naquela região, que os culpados tenham um rosto”.

Jorge Pelicano já participou neste festival com a sua primeira obra “Ainda há Pastores?”, obtendo o prémio imprensa.

segunda-feira, 8 de novembro de 2010

PARE, ESCUTE, OLHE SELECCIONADO PARA O XVII CAMINHOS CINEMA PORTUGUÊS


Pare, Escute, Olhe foi seleccionado para a secção documentário no XVII Caminhos do Cinema Português.
A exibição do documentário está agendada para Sábado, 20 de Novembro, 22 de Novembro, no Theatrix, em Coimbra.

quarta-feira, 3 de novembro de 2010

JORGE PELICANO HOMENAGEADO




O Lions Clube de Santa Catarina, na Figueira da Foz, homenageou Jorge Pelicano atribuindo-lhe o troféu Cidadão Figueirense 2010. Segundo Rui Carvalho, presidente do Clube, “apesar de ainda o podermos considerar no início do seu percurso profissional, tem de lhe ser dado o devido relevo por aquilo que já fez em prol dos valores e princípios da nossa sociedade; interesse pelo bem-estar cívico, social e moral, promoção da livre e ampla discussão de assuntos de interesse público, incentivo às pessoas a ajudarem desinteressadamente as suas comunidades”.
A atribuição do prémio decorreu durante o jantar mensal do Clube, cujo um dos convidados palestrantes era António Arnault, que nos brindou com a sua companhia e nos falou da “Res Pública”.
Jorge Pelicano ficou muito sensibilizado com o reconhecimento que o incentiva mais nas suas incursões cinematográficas.