quarta-feira, 20 de abril de 2011

PARE, ESCUTE, OLHE NA SIC NOTÍCIAS


Sexta-feira, 22 ABRIL 23 H

Sábado, 23 DE ABRIL 15 H


O documentário “Pare, Escute, Olhe”, estreou na SIC Televisão e foi visto por mais de 480 mil pessoas. A exibição do filme em canal aberto representa um marco importante no panorama do documentário português. Como co-produtora, o filme será exibido também na SIC NOTÍCIAS.


O retrato de Trás-os-Montes, a denúncia da situação de isolamento causada pela desactivação da linha de caminho de ferro do Tua, vítima de promessas incumpridas, despertou curiosidade e vertente crítica dos portugueses. Foram muitas as mensagens e feedback por e-mail, através do site e facebook.


Para o realizador Jorge Pelicano, “o documentário apresenta o lado emocional da luta do Tua. O lado racional está na sociedade civil, critica e interventiva, a única que pode alterar o rumo em prol de um Portugal mais justo”.

segunda-feira, 18 de abril de 2011

PARE, ESCUTE, OLHE VISTO POR 480 MIL PESSOAS

Pare, Escute, Olhe teve um rating de 4.6, que significa que foi visto por 480 mil pessoas. Mas à medida que o doc era exibido, as audiências foram subindo.
Este documentário representa o lado emocional da questão. O lado racional, está do vosso lado, está na sociedade civil. Porque só a sociedade civil pode alterar o rumo em prol de um Portugal mais justo e desenvolvido. Não deixem de lutar e acreditar.
Obrigado a TODOS, Jorge Pelicano e Rosa Silva

terça-feira, 12 de abril de 2011

PARE, ESCUTE, OLHE ESTREIA NA SIC TELEVISÃO A 16 DE ABRIL | 23h30


O documentário já tem estreia marcada na SIC Televisão (co-produtora do filme). Será exibido uma versão de 55 minutos, no dia 16 de Abril, às 23h30 - depois da novela Laços de Sangue.

Pare, Escute, Olhe estreou no DOCLISBOA - o principal festival de documentário em Portugal -, no circuito comercial, esteve em exibição nos Cinema Lusomundo, cineteatros e cineclubes do país.

Desde Dezembro está à venda o DVD - uma edição dupla, com mais de duas horas de extras.

Pare, Escute, Olhe (seis prémios no DocLisboa e no Festival de Seia) é um retrato, cheio de humor, cinema, pormenores, música e silêncios, de um Portugal “aprodundado” por políticas desastradas de (des)ordenamento do território. A mostrar com que entrelinhas se cosem estes caminhos-de-ferro…
Ana Margarida de Carvalho, Revista Visão, 5 NOV 09

Pelicano sustenta que “aquele património não é só das pessoas que vivem lá, é de todos os portugueses e acho que se há alternativas para buscar outras energias, temos que ir por essas alternativas, porque o progresso não é só destruição”.
Diário As Beiras, 26 OUT 09

“Alguém se deu ao trabalho de ver até que ponto o filme tem ritmo, fala de histórias humanas e universais, até que ponto a montagem é boa, poderosa, ao serviço de uma causa verdadeira, universal?... Que felicidade quando uma história nos é bem contada!”.
Guy Knafo, 10 Francs (empresa de destribuição cinematográfica)
In Ípsilon, suplemento do Jornal Público